Home Destaque Ministro do Turismo defende legalização do jogo como fonte de financiamento das atividades turísticas
< Voltar

Ministro do Turismo defende legalização do jogo como fonte de financiamento das atividades turísticas

19/03/2015

Compartilhe

O ministro do Turismo, Vinicius Lages, sugeriu durante audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado Federal, realizada na manhã desta quarta-feira (18), que a legalização do jogo pode ser uma fonte de investimento no setor.  

Ao responder questões formuladas pelos senadores, Vinicius Lages afirmou que a liberação dos jogos pode ser considerada uma fonte de financiamento para o turismo no país. Ao responder o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), ele mencionou o exemplo de Macau (China), que liberou os jogos e já obtém faturamentos superiores aos de Las Vegas, nos Estados Unidos.

Inicialmente, o ministro citou na sua apresentação a necessidade do país investir na área de entretenimento para atrair mais turistas e citou os cassinos como uma destas fontes.

“Quando nós olhamos o número do turismo no Brasil, pergunta-se por que não conseguimos – e é isso que eu queria mais adiante, agora, em conclusão, falar sobre essa agenda com os senhores. Porque é muito difícil, no Brasil, investir em equipamentos como esse, é muito difícil ainda, no Brasil, você ter investimentos na área de entretenimento, de parques temáticos, de cassinos”, comentou Vinicius Lages.

Posição do Ministério sobre a legalização do jogo

O senador Antônio Anastasia (PSDB – MG), cumprimentou o ministro do Turismo e comentou sobre a essencial necessidade de investimento em infraestrutura. O senador mineiro também destacou outros nichos.

“E temos outros nichos. Minas Gerais, até a década de 50 do século passado, era o grande destino turístico do Brasil, em razão do termalismo das nossas estâncias e do jogo. O jogo foi proibido, e o termalismo caiu de moda, mas agora ressurge, felizmente, sob o manto do turismo de saúde, que é algo fundamental, especialmente para aquele que V. Exª aponta, que é o Brasil mais grisalho. Mas também os jovens. Todos nós necessitamos desse aspecto”, comentou.

Ao final da exposição, Anastasia fazendo uma única indagação: “qual é a posição do Ministério do Turismo sobre a legalização do jogo no Brasil?”

Melhores práticas de Las Vegas e Macau

O ministro Vinicius Lages respondeu o senador Antônio Anastasia destacando as experiências exitosas de Las Vegas e Macau e que a arrecadação deste setor poderia representar uma fonte de financiamento para a atividade turística.

“Sobre a legalização do jogo, a nossa posição, olhando as experiências internacionais e a trajetória de Macau, por exemplo, que já dobra o faturamento em relação a Las Vegas, sobretudo, em um país que já tem outras formas de jogo legalizadas, pode, sim, ser uma fonte de diferenciamento para o turismo. Assim como a loteria esportiva e os diferentes jogos financiam o esporte e atividades educacionais, nós acreditamos que a arrecadação advinda de centros de entretenimento e de jogos possam ser uma fonte de financiamento para a atividade turística, dinamizando regionalmente…, comentou.

Ministro conhece Projeto do Jogo

Vinicius Lages também comentou já ter conversado com o senador Benedito de Lira, relator do ‘Projeto do Jogo’ (PLS 186/2014), na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo – CDR do Senado Federal sobre a proposta de autoria do senador Ciro Nogueira, que legaliza o jogo no Brasil, inclusive os cassinos e propôs voltar a comissão para apresentar o que outros países já fizeram nesta área.

“Portanto, sem ainda o amadurecimento de uma reflexão, porque tem algumas iniciativas aqui no Parlamento. Mas eu gostaria muito – conversei outro dia com o Senador Benedito de Lira, que esteve relatando ou está para relatar uma iniciativa nessa direção –, eu gostaria muito de mostrar os números, de vir aqui para os Srs. mostrar o que outros Países já fizeram. E, com responsabilidade, fazer com que esse investimento se reverta em favor do turismo. Eu acho que é um desafio para podermos ir mais longe. E é o que nós estamos defendendo também”, finalizou Vinicius Lages.

De acordo com o senador Davi Alcolumbre (DEM – AP), presidente da Comissão, a disposição do ministro de debater os desafios e levá-los ao diálogo permanente pode ajudar a desenvolver o setor e atrair ainda mais recursos para o Turismo.

Números do turismo no Brasil

O turismo representa 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, gerando cerca de RS 200 bilhões. Em 2014 foi batido o recorde de viagens domésticas, com 206 milhões de viagens domésticas. O país está se consolidando como o terceiro mercado de aviação civil doméstica do mundo, atrás da China e dos Estados Unidos.

Do ponto de vista dos turistas internacionais, o Brasil saiu de 4,1 milhões, em 2003, para cerca de 6 milhões no final do ano passado. A receita turística cresceu de pouco mais de US$ 2,4 bilhões, em 2003, para o recorde de US$6,9 bilhões em 2014, se constituindo no sexto item da pauta de exportações.