Home Lotérica Lotéricos temem perdas com fim do Pimba.
< Voltar

Lotéricos temem perdas com fim do Pimba.

08/10/2003

Compartilhe

A presidente do Sindicato das Empresas Lotéricas do Paraná, Rejane Dick, quer agendar uma reunião com o governador Roberto Requião para tentar convencê-lo a desistir de acabar com os jogos Pimba e Roda da Sorte.

Ela estima que, em todo o estado, cerca de 1,2 mil pessoas possam perder o emprego por causa da extinção desses jogos. Segundo donos e funcionários de lotéricas, a queda no faturamento das empresas pode variar entre 10% e 15%. Ex-jogadores compulsivos, porém, aprovam a iniciativa.

"Acredito que o governador vai rever essa posição", disse Rejane. Ela afirmou que as loterias promovidas pelo governo estadual geram recursos para o Paraná – o que não acontece necessariamente no caso dos jogos mantidos pela União.

Segundo informações divulgadas no site do Serviço de Loterias do Paraná (Serlopar), os jogos estaduais foram responsáveis no ano passado pelo repasse (previsto em lei) de R$ 7,3 milhões à Secretaria Estadual da Criança, que usa os recursos em projetos sociais. Os números, porém, não incluem apenas os recursos arrecadados com a Pimba e a Roda da Sorte. O Serlopar ainda mantém os jogos Totobola e Sena do Paraná.
Ex-jogadores compulsivos consideraram acertada a decisão do governador. Um aposentado, que foi apostador por 35 anos e pediu para não ser identificado, disse que a Pimba e a Roda da Sorte são modalidades de jogo que induzem a pessoa à compulsão. "O jogo é muito rápido", afirmou ele. Os sorteios do Pimba ocorrem a cada 4 minutos. O dinheiro vai embora rapidamente. "O ex-jogador C.M., de 25 anos, lembrou que a compulsão pelas apostas é uma doença reconhecida pela Organização Mundial da Saúde desde a década de 80. E a oferta de qualquer jogo pode desencadear a enfermidade nas pessoas propensas. C.M. chegou a perder R$ 100 mil em apenas quatro anos de apostas, trancou a faculdade e teve de sair de casa. "O pior é a perda da dignidade e da confiança dos outros".

A Gazeta do Povo procurou o governo do estado para saber quando os dois jogos serão oficialmente extintos. Até ontem, as apostas da Pimba e da Roda da Sorte ainda estavam sendo feitas nas casas lotéricas, embora o governador tenha determinado, anteontem, a sua imediata extinção.

O governo do estado informou que o assunto está sendo estudado e que ninguém daria declarações. O governo tampouco soube informar se a Sena do Paraná, que também vinha funcionando pelo mesmo convênio da Pimba e da Roda da Sorte, será banida.
Gazeta do Povo (PR) – Fernando Martins