Home Cassino Freiras da Califórnia desviam R$ 1,9 milhão de escola para viajar e jogar em Las Vegas
< Voltar

Freiras da Califórnia desviam R$ 1,9 milhão de escola para viajar e jogar em Las Vegas

11/12/2018

Compartilhe

As irmãs Mary Margaret Kreuper e Lana Chang pegaram o dinheiro de matrículas, mensalidades e doações da Escola Católica St James e gastaram tudo em Las Vegas

Duas freiras admitiram ter desviado cerca de US$ 500 mil (R$ 1,9 milhão) de uma escola católica da Califórnia que dirigiam para jogar nos cassinos de Las Vegas durante anos, informou sua ordem. Famosa pelos hotéis-cassino e pela vida noturna, localidade americana do estado de Nevada é conhecida como Sin City, “a cidade do pecado”.

As irmãs Mary Margaret Kreuper e Lana Chang, que seriam melhores amigas, pegaram o dinheiro de matrículas, mensalidades e doações da Escola Católica St James, no sul de Los Angeles, e gastaram tudo em Las Vegas.

“Nós sabemos que elas tinham o padrão de sair em viagem. Nós sabemos que elas tinham o padrão de ir a cassinos, e a realidade é que elas usaram a conta (da escola) como conta pessoal”, ressaltou o advogado dos parentes de alunos, em declarações reproduzidas pelo “Press-Telegram”.

A Arquidiocese de Los Angeles declarou que o desfalque foi descoberto durante uma auditoria de rotina. A suspeita é de que as freiras tenham movido o esquema por pelo menos uma década.

Kreuper era diretora da escola há 29 anos até se aposentar no começo deste ano. Chang era professora por 20 anos e também deixou o ofício este ano.

“As irmãs de St Joseph querem e pretendem restituir completamente a Escola St James”, destacou a ordem St. Joseph de Carondelet, à qual pertencem as acusadas.

A polícia foi alertada, mas a Arquidiocese disse que não planeja apresentar queixa criminal contra as freiras. Os pais foram informados dos desfalques em 28 de novembro.

“As irmãs Mary Margaret e Lana expressaram para mim e me pediram para enviar a vocês o profundo remorso que sentem pelas ações e pediram perdão e orações”, destacou o monsignor Michael Meyers, em carta aos pais.

As freiras teriam encoberto o esquema ao depositarem cheques com o valor de matrículas em uma conta bancária diferente da usada pela instituição. Meyers frisou aos pais de estudantes que ninguém perdeu oportunidades ou recursos educacionais em razão do crime, mas que as acusadas têm cooperado para a apuração exata do valor desviado. (Extra – Com AFP Las Vegas)