MagocomSexta-Feira, 17 de Novembro de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

Blog do editor < Voltar

Blog do editor

Magnho José

Vice-presidente do Grupo Meliá fala da expectativa da visita de Sheldon Adelson ao Brasil 19/05/2017 19:18:42

O vice-presidente da Meliá Hotels International Brasil, Rui Manuel Oliveira, registrou a expectativa da recente visita do CEO do Las Vegas Sands, Sheldon Adelson ao Brasil

Em entrevista exclusiva ao portal Yogonet.com, o vice-presidente da Meliá Hotels International Brasil, Rui Manuel Oliveira, registrou a expectativa da recente visita do CEO do Las Vegas Sands, Sheldon Adelson ao Brasil.

O executivo da Meliá confirmou que o modelo de negócio proposto por Adelson seria construir um resort melhor do que o de Macau, mas ao estilo na América Latina. De acordo com relatórios das reuniões com autoridades de Brasília e Rio de Janeiro, o multibilionário estaria disposto a investir US$ 8 bilhões no país.

A entrevista também confirma informação veiculada pelo BNL, que a verdadeira intenção do empresário norte-americano seria propor a legalização de apenas poucos cassinos em detrimento de outras modalidades de jogos, previstas nos dois projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional.

“O empresário se interessa que se importe o modelo de Cingapura, o que significa que liberem poucos cassinos e se evite a legalização das apostas esportivas, jogos online e vídeo-bingos”, comentou Rui Manuel Oliveira.

Durante sua passagem pelo Rio de Janeiro, Adelson mostrou interesse pelo Melia Hotel Gran Nacional Rio de Janeiro, que poderia abrigar um projeto US$ 50 milhões de na construção de cassino. Oliveira ressalva que o antigo Hotel Nacional, uma obra de Oscar Niemeyer, é da HN Participações e Empreendimentos Ltda Grupo. A cadeia Meliá apenas opera o estabelecimento e que o empreendimento também interessa ao Grupo MGM.

“A principal atividade do Meliá é a hotelaria. Temos alguns resorts com cassinos, mas geralmente são pequenos e foram construídas para melhorar a experiência e a estadia dos nossos hóspedes. Os casinos não estão comtemplados pelo core business da empresa. O Brasil é um país com um importante potencial turístico, mas nunca investiu na promoção dos destinos mais atrativos. O turismo nunca foi uma prioridade para os governos. Rio de Janeiro, em particular, tem vocação turística e poderia muito bem ter uma operação de cassino a nível internacional, sempre quando o jogo está bem regulado”, sugeriu Rui Manuel Oliveira. Confira no Yogonet.com a íntegra da entrevista.

Comentários (0)

Para comentar essa postagem você deve estar logado!

Clique aqui para se logar ou se ainda não for cadastrado cadastre-se aqui.