Home Blog Opinião: Se aprovar a Lei Sheldon Adelson não legaliza mais nada e ainda criminaliza o que já existe
< Voltar

Opinião: Se aprovar a Lei Sheldon Adelson não legaliza mais nada e ainda criminaliza o que já existe

05/04/2019

Compartilhe

Se a ‘Lei Sheldon Adelson’ (cassinos-resorts integrados) for aprovada pelo Congresso Nacional, nenhuma outra modalidade de jogos será legalizada no Brasil. Além disso, as modalidades não reguladas em operação atualmente serão criminalizadas a médio prazo

O exemplo da operação dos jogos em Cingapura vem sendo usado pelos atores políticos para justificar a legalização dos cassinos-resorts integrados no Brasil. Mas na verdade, estão ‘vendendo’ uma ilusão para poder justificar a adoção deste modelo que interessa apenas aos grandes operadores de cassinos-resorts, liderados pelo Grupo Las Vegas Sands do bilionário Sheldon Adelson.

Com frequência ouvimos alguns atores profetizar que é melhor para o Brasil seria legalizar gradativamente as modalidades que atualmente operam na clandestinidade, mas o acordo entre o governo de Cingapura e o Grupo Las Vegas Sands comprova que depois de instalado, a operadoras dos cassinos-resorts integrados atuam fortemente contra a expansão de outras modalidades e a instalação de novas operadoras nestes mercados.

Se a ‘Lei Sheldon Adelson’ (cassinos-resorts integrados) for aprovada pelo Congresso Nacional, nenhuma outra modalidade de jogos será legalizada no Brasil. Além disso, as modalidades não reguladas em operação atualmente serão criminalizadas a médio prazo.

Estruturas criminosas

E o pior está por vir, pois estas modalidades vão migrar para estruturas verdadeiramente criminosas como milícias, facções, máfias e cartéis internacionais, principalmente pelo fato deste setor movimentar muitos recursos, que poderiam muito bem, através de uma tributação adequada, serem revertidos em prol da população.

Um especialista em jogos certa vez comentou com este colunista que “nós vamos sentir saudades da contravenção”, caso o Estado continue sendo omisso e o Legislativo inapetente ao não aprovar um Marco Regulatório para este setor.